fbpx

Animais de Estimação

[accordion]
[acc_item title=”Levar os animais na viagem”]

Para viajar com animais dentro da União Europeia basta pedir um passaporte para o animal de estimação num veterinário habilitado pela Direcção-Geral de Veterinária (DGVet). Este documento comprova que as vacinas contra a raiva estão em dia. No entanto, há países que também exigem testes de eficácia da vacina, como Irlanda, Malta, Suécia e Reino Unido, sendo que em alguns deles o exame tem mesmo de ser efectuado com 120 dias de antecedência.

Se o viajante vai para um país fora da União Europeia, tem de ter um certificado sanitário elaborado pela DGVet que garanta que o animal cumpre todas as condições de saúde e vacinação. Em caso de dúvida, a melhor opção é contactar a embaixada ou o posto consular do país hospedeiro em Portugal.

Convém não esquecer que não podem ser transportadas em avião cadelas em fase de lactação nem cachorros com menos de oito meses.

Regra geral, os animais que viajam de avião são transportados em caixas no porão, com espaço suficiente para ficarem de pé ou mudarem de posição.

Para além disso, recomenda-se sempre a administração de comprimidos para o enjoo antes de efectuar uma viagem demorada.[/acc_item]

[acc_item title=”Deixar os Animais em Portugal”]

A escolha mais acertada pode ser deixar os animais de estimação ao cuidado de uma pessoa conhecida ou num hotel para animais.

Nesta situação, recomenda-se que se deixem todas as informações sobre o animal ao tratador durante o período de ausência. O histórico clínico e o contacto do veterinário são dados que devem ser transmitidos.

Outra opção é deixá-lo num hotel especial para animais de estimação. Estas instituições especializadas apresentam boas condições de alojamento e procuram manter as rotinas dos animais de forma a assegurar o seu bem-estar.

Os canis e gatis associativos ou municipais também são uma hipóteses a considerar.[/acc_item]
[/accordion]

Pode gostar de...